2018-5 Movimento dos Corações Puros

Qual é a verdade sobre o significado da sexualidade humana?

Abr 11, 2019 Editoria

“Sem compreender a verdade revelada sobre os ignificado da sexualidade humana não se pode compreender o cristianismo” (S. João Paulo II).

Deus deseja que o relacionamento sexual seja:

1. A expressão do amor mútuo da mulher e do homem pela mútua entrega (corporal e espiritual) total, para que se tornem “uma só carne” (Ef 5,31).

2. Um sinal sagrado do sacramento do matrimônio, o qual faz com que os cônjuges participem da vida e do amor de Deus Uno e Trino.

Deus nos ensina que o relacionamento sexual é reservado apenas à mulher e ao homem unidos pelo sacramento do matrimônio.

É preciso lembrar-se de que:

1. A mais íntima unidade da mulher e do homem no relacionamento sexual é o lugar de uma especial presença da criativa onipotência de Deus, que pode chamar à existência um novo ser humano.

2. O maior tesouro que os cônjuges possuem é a permanente presença de Jesus no sacramento do matrimônio, graças ao que a sua unidade conjugal se torna uma imagem e um ícone da Santíssima Trindade.

3. Os cônjuges não devem nunca relacionar-se em estado de pecado mortal, visto que só assim poderão proporcionar-se o amor mútuo com que os ama Jesus.

4. Durante a administração do sacramento do matrimônio Jesus Cristo une a mulher e o homem com um vínculo indissolúvel: “Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe” (Mt 19,6). O matrimônio validamente contraído é indissolúvel. Para Deus, não existe o divórcio.

Deus deseja que o relacionamento sexual seja a expressão do amor cuja fonte está no Seu amor, para que seja um sinal sagrado do sacramento do matrimônio.

A plena riqueza e beleza (espiritual e corporal) do relacionamento sexual só é possível na união sacramental do matrimônio, quando os cônjuges estão em estado de graça santificante. Na pedagogia divina, o mais importante é sempre o amor, e o prazer sexual e os estados emocionais devem estar subordinados à lei do amor, expressa nos mandamentos.

“O que mais fere o meu coração são os pecados impuros” (Jesus Cristo a Rosália Celak)

À luz da revelação divina, vê-se que grande mal é o relacionamento pré- -matrimonial, a traição conjugal, o uso de anticonceptivos, a masturbação, a bolinação, o sexo oral, os atos homossexuais, a pornografia etc.

“Os pecados que levam mais pessoas ao inferno são os pecados impuros” (Nossa Senhora em Fátima)

Esses atos infligem um terrível sofrimento a Cristo, visto que destroem o amor, aprofundam o egoísmo e provocam a dependência das experiências sexuais. São pecados mortais, porque rompem os laços do amor com Deus e com as outras pessoas, introduzem no estado de morte espiritual e da escravização pelas forças do mal.

Numa das suas visões místicas, S. Faustina viu a cena da flagelação de Jesus. Todo o Seu corpo estava coberto de feridas. Jesus esclareceu que elas haviam sido provocadas pelos pecados impuros, e acrescentou: “Estás vendo, este é um sofrimento maior que a Minha morte” (Diário 445).

»Consulte Mais informação:
Loja de PDF: https://pdf.milujciesie.org.pl/pt/
Assinatura: https://amai-vos.org/#subscricao